TAG: comunicação e Internet » Coisinhas da Sussu

Posts publicados em comunicação e Internet

Vida Profissional ou Profissional da Vida? ProBlogger – Mito ou Realidade?

Postado em Comunicação, Moda por

Depois de um bom tempo de esquecimento na memória de vocês, volto agora para não perder o hábito. rs

E volto para falar de um assunto que ultimamente tem sido até um pouco perturbador de tanto que as pessoas me perguntam. – Como faço para ser uma blogueira? Você me ajuda? Na verdade quando esta pergunta é feita existem MILHARES de intenções subentendidas na mesma pergunta. E se soubéssemos todas as nossas reais intenções, na intimidade e na profundidade, provavelmente não perguntaríamos tanto. Pois a resposta nós já sabemos.

Um “ProBlogger” ou “blogueiro” é o indivíduo que vive dos rendimentos do seu blog. Digamos assim, um blogueiro profissional. Ele faz da sua atividade de postar resenhas e administrar a plataforma a sua profissão. Ganha a vida vendendo espaços publicitários e transformando seu “hobby” em uma mídia especializada no assunto.

Legal isso não? Ganhar para viver fazendo o que gosta, indo a festas e eventos, ganhando produtos, ser reconhecida nas ruas, melhor ainda se forem reconhecidas nas lojas… Enfim. Todas estas bajulações que as mulheres adoram. O problema aqui é o “mito do ProBlogger”, quer dizer… A idéia de ganhar dinheiro e se manter com seus vários blogs fazendo o que mais gosta.

Digamos que no português claro…. “ISSO É FODA!”. Não que seja impossível. É possível sim, afinal se alguns conseguiram outros tem toda as condições de seguir o mesmo caminho. A questão é que estamos trocando os pés pelas mãos. Ou será… Mãos pelos pés?… Enfim, vocês entenderam.

Para ser um blogueiro profissional é necessário ser antes um “bom profissional”. Não troque o profissionalismo pela ferramenta. Blogs são ferramentas, disponibilizam uma gama enorme de recursos de publicidade e visibilidade, e alguns se tornam mídias disputadas pelos anunciantes devido ao grande número de visitas, mas você só consegue mensurar o retorno do seu esforço financeiro se souber definir QUEM ESTA A FRENTE DE QUEM? VOCÊ ou a FERRAMENTA.

Digamos por exemplo que você seja uma especialista em “armas biológicas” – (Ok, ok. Eu sei que este exemplo é meio impossível, mas vamos lá) – e tenha um blog de + ou – umas 30mil pessoas malucas que adoram armas biológicas e visitam seu blog todo mês. Ai você opte por implementar um sistema de afiliados onde nos cliques você já recebe uma porcentagem. Se tudo correr conforme você espera e se todas as 30mil visitas clicarem nas publicidades, no final do mês você estará recebendo um cheque bem gordinho, certo? Certo. Mas e se nem tudo correr conforme você espera? É ai que se define o que é o profissional e o que é a ferramenta.

Vamos pensar de outra forma… Se todos os blogs e websites do mundo explodissem hoje! Viver de blog seria impossível. Então do exemplo citado acima o que sobra é você, como um especialista em “armas biológicas” e os 30 mil malucos que te seguiam. Mas vejam, um especialista em armas biológicas vivendo no Brasil não seria de grande utilidade.

E ai o que você faz?….  Se mata? Entra em depressão porque seu sonho de ser ProBlogger acabou? Vira terrorista???

Se você estava acostumado a pensar que o blog era sua atividade e seu sonho, no português claro, você SE FUD… Pois não existe espaço para profissionais que necessitam das ferramentas para seres bons. Os bons são bons porque se adaptam as ferramentas e não ao contrário.

Arma biológica é sua paixão, mas não existem recursos necessários para você viver desta paixão. Mas ao menos tempo existem cerca de 30mil malucos que também são interessados na mesma coisa, a diferença é que você é um especialista e eles não. Portanto estão sedentos para saber mais. Se você tem estas duas informações na mão e não existe mais blogs para se comunicar com eles, você simplesmente esquece? O bom profissional, de alguma forma, vai encontrar uma maneira de entrar em contato com estas pessoas e tentar formar sua pequena comunidade. E talvez este esforço lhe traga algum retorno financeiro. Quem sabe o Bim Ladem não patrocina né?

Onde quero chegar com todo este discurso?….. Para quem já entendeu legal, para quem não entendeu ai vai a dica.

Viver das atividades que realiza nos blogs é como ser especialista em armas biológicas. A paixão existe, o desejo e a vontade, mas ainda não dá para viver só de paixões e desejos. A não ser que o seu profissionalismo esteja bem à frente de todas as ferramentas existentes. E se isso acontece, pouco importa se você é ProBlogger ou blogueiro ou jornalista ou químico ou outra coisa qualquer.

Você é um profissional e será profissional sempre, com qualquer ferramenta que estiver utilizando. A maioria das blogueiras conhecidas não ganha a vida com os blogs, a maioria tem profissões definidas e os ganhos advindos dos blogs servem para complementar uma renda. Não existe mágica no processo.

Os poucos ProBloggers brasileiros que existem nem sabiam que um dia seriam chamados assim. Mas já sabiam que não podiam ser nada se não fossem bons profissionais.

Bjs e até a próxima.

Ricardo

Há que entender de redes sociais, mas sem jamais perder a ternura.

Postado em Moda por

Ola garotas. Mais uma semana começando e mais um post sobre este mundão desconhecido dos blogs.

Bom, vou começar este post contando um fato ocorrido há uns meses atrás que serve perfeitamente como base do que vamos discutir.

Estava eu falando sobre a dificuldade de transição do mundo industrial para o nosso mundo contemporâneo quando avistei uma garota magrinha no canto da sala. Devia ter no máximo uns 18 ou 19 anos, óculos de geek, cabelos presos, camiseta de bandas nacionais, calça jeans e tênis allstar. Pensei comigo mesmo… “Pronto. Ela é perfeita para o exemplo que vou dar agora. Uma autêntica nerd”. Ok, vamos lá…

– Ei minha linda. Você mesma no canto da sala…

– Quem eu?

– Isso, você mesma. Qual seu nome?

– Juliana (fictício)

– Ok Juliana, quantos anos você tem?

– 20

– Muito bem Juliana. Me fala uma coisa. Quando você nasceu já existia energia elétrica certo?

– Sim.

– Ninguém perguntou se você queria ou não? Quando você nasceu ela já estava lá, não é?

– Sim.

– Então gente. É mais ou menos isso que ocorre nos nossos tempos atuais. Os jovens que se adaptam rapidamente as novas tecnologias não são melhores ou piores do que nós. É que para eles a adaptação é mais fácil por já terem nascido com a tecnologia atual em andamento… e segue a explicação bla bla bla.

Mas foi ai que o negócio começou a desandar… Ninguém mandou o sabichão do Ricardo aqui querer ser o centro das atenções né?…

– Querem ver um exemplo claro desta transição. Juliana, minha linda, provavelmente você deve ter Orkut, Twitter, FaceBook, Flickr, Blog… Ou alguma destas mídias sociais não?

– Não. Não tenho não.

???????????…… Silêncio mortal.

Achei que ela não estivesse escutado.

– Orkut, Twitter…sabe? Você não usa nenhuma destas mídias sociais?

– Não. Não uso.

Aquele silêncio gelado e todo mundo olhando para mim com cara de: “E agora mané? Estamos todos esperando seu maravilhoso exemplo”. E eu só pensava comigo… “Maldita Juliana. Por que diabos essa miserável não usa a rede?”. Foi ai que soltei a pergunta do palestrante que não sabe mais o que fazer…

– E por que você não usa as mídias sociais Juliana, minha linda, bonitinha, coisinhas fofa do titio? Em pensamento: “sua maldita!”.

– É porque acho que as a maioria das pessoas e empresas não sabem usar ou usam errado e acabam mentindo muito para se auto promoverem. Prefiro usar as mídias mais consistentes e confiáveis… Entro muito em fórum de discussões e tento sempre fazer um paralelo com os livros que leio e o que estou aprendendo na faculdade. Acho que assim me torno mais crítica sobre eu mesma e sobre o mundo. Acho que só vou começar a usar alguma mídia digital desse tipo quando perceber que as empresas não estão mais enchendo a rede com promoções de “me sigam e ganhem um biscoito” e quando as pessoas começarem a usar as mídias não como um psicólogo virtual escrevendo “Ai hoje estou triste…, Ai hoje estou alegre”.

Respirei fundo e pensei comigo mesmo… “Ai caracas….. Ta vendo seu trouxa. Tinha que pegar justo uma Che Guevara adolescente para das seu exemplo. . Agora você se ferrou otário…

Bom, resumindo a conversa. Consegui, com muito esforço, mostrar a platéia que a versão da Juliana não estava errada. Mas que existia o outro lado da história. O lado de que independente da opinião da Juliana, não dá mais para fugir de um fenômeno chamado redes sociais. Ou você se comunica sabendo que uma hora ou outra terá contato com alguma dessas mídias ou sua comunicação será falha.

Mas o pensamento da Juliana me fez organizar e rever meus próprios conceitos sobre o andamento das redes sociais. Ela não estava errada em afirmar que muitas empresas lotam o Twitter com promoções de sigam-me e ganhe tal coisa, ou então exibem os números de seguidores como troféus, ou mesmo quando criam o máximo de perfis possíveis e não alimentam nenhum. E particularmente fiquei com uma sensação bem ruim quando ela disse que a maioria dos usuários das redes sociais usam a rede para se auto promover ou como psicólogos virtuais expondo para todos suas atividades e sentimentos mais banais.

Foi a partir desse ponto que comecei a correr atrás de mais informações a respeito do assunto para tentar, talvez, dar minha pequena contribuição para que o andamento da rede não venha a se tornar uma arena de batalha entre cultos, ignorantes e pseudo-sábios. Não gostaria que as redes sociais substituíssem o lugar que um dia foi da TV, do rádio ou do jornal. Mas que elas continuassem a fazer seu papel exato e específico. De criar comunidades e não de excluí-las.

E como sempre no final tem a dica. Ai vai… Em decorrência da história acima tentarei, nos próximos posts, conciliar algumas idéias de como usar de maneira coerente seu blog com twitter, flicker, facebook, orkut e outras mídias sociais sem cair na banalidade. E lembrem-se blogueiras… Todas estas mídias sociais não foram feitas para o público, mas sim para comunidade. E é isso que faz com que elas sobrevivam. Mudar a idéia de que um Blog será bem sucedido por ter muitos acessos é essencial. A base de um blog de sucesso é e sempre será sua comunidade e não a audiência.

Bjs e até a próxima semana.

O que é Parceria?

Postado em Moda por

Ola mocinhas. Como prometido o post sobre parcerias. Antes de começar e já tomando carona na repercussão que deu o último post (onde Jesus teve muitos comentários), preciso dizer que não mencionarei nenhuma religião. Mas talvez possa ser até mais polêmico do que se tivesse mencionado. E provavelmente algumas vão me chama de mal amado ou de outra coisa pior… rs. O post é um pouco longo, mas leiam que vale a pena.

Em uma palestra sobre comportamento e sociedade me perguntaram:

– “Mas Ricardo… E quando o casamento começa a dar sinal de que esta acabando. Como a gente faz?”.

Minha resposta:

– “Seu casamento já acabou minha querida. Depois que você voltou da lua de mel ele acabou. Agora o que você vive com seu marido é uma parceria. E é isso que esta chegando ao fim”.

– “Como assim meu casamento acabou? Não, não… Ainda somos casados. É que não estamos mais sabendo lidar com algumas situações”.

– “Veja minha querida. Quando você e seu marido decidiram se casar, o que é que vocês queriam? O casamento ou o relacionamento? Porque uma coisa é bem diferente da outra. Se você decidir pelo relacionamento não precisa ter casamento”.

– “Nossa! Como assim?” Ela respondeu.

Para não ficar tão tenso, brinquei:

– “Veja, tem mulheres que sonham em ter um marido lindo, loiro, gostoso, atencioso, carinhoso, forte, cheiroso, cheio da grana e ainda por cima que consiga alcançar o ponto G e dêem a elas orgasmos múltiplos. E este mesmo cara, além de ter tudo isso, precisa ser fiel, honesto e viver com elas até que a morte os separe. Você não acha que é muita exigência para uma pessoa só? rs.”

– “rsrs… É… Mais meu marido não é tudo isso e mesmo assim eu o amo”.

Ricardo:

– “Amor não tem nada a ver com isso. Amor a gente sente e é independente. Relacionamento você vive porque acredita em algo. E casamento é lindo porque começa na igreja e termina voltando da lua de mel. Agora, o que você queria quando se casou? O casamento ou o relacionamento?”.

– “Os dois”.

– “Então tenho uma péssima notícia para te dar. Nenhum relacionamento dura para sempre a não ser que os dois lados tenham objetivos em comum e os dois se beneficiem muito com isso. Será que o objetivo do seu marido era o mesmo que o seu quando se casaram? Ou será que ele estava mais preocupado com outras coisas? Sabe… O problema maior é que nunca pensamos na parceria, sempre pensamos nas coisas lindas que eu quero com o casamento. Agora te pergunto. E se o casamento não fosse tão lindo assim como dizem? Você se casaria da mesma forma?

Bom, depois dessa conversa ela baixou a cabeça e começou a pensar como os objetivos dela eram bem diferentes dos dele. E é mais ou menos isso que acontece com parcerias nos blogs. Muitas meninas imaginam que trocando links já estão sendo parceiras. Ou mesmo quando recebem brindes das empresas. Vejam, parceria pressupõe 50% de cada lado em suor e dedicação. Toda parceria tem que beneficiar as duas partes e não somente uma. Assim como no casamento, que de lindo mesmo só tem a comida e a bebida da festa, porque depois é trabalho duro todos os dias minha filha.

Então vamos as dicas: Troca de banners, selinhos e links não são parcerias! Assim, não fiquem pedindo para trocar achando que isso é a salvação da sua audiência, pois não é. Se a pessoa quiser, ela mesma coloca ou troca. Não forcem a barra, ok. Outra coisa. Tem muitas meninas achando que ser parceira de blogs conhecidos vai mudar o mundo. Pois não vai… Vejam, blogs grandes já são conhecidos e já tem sua própria audiência. Então por que diabos eles precisam de você?… Mais ou menos como se eu pedisse a Juliana Paes para dormir comigo. Provavelmente ela diria: “Ah, vê se te enxerga, seu japonês nanico”. A não ser que eu tivesse uma coisa muito interessante para oferecer. Uma coisa que nenhuma outra pessoa jamais teria oferecido. Tcham tcham tcham tcham!…. Ai ela poderia até olhar para mim, mas até chegar a dormir com ela seria outro esforço monstruoso…rsrsrs. Portanto, para ser parceiro de blogs conhecidos, você precisa ter um diferencial muito legal.

Uma outra dica. Gente, não pensem que só porque a empresa X, Y ou Z te enviou um “kit frufru” você já é parceira. Pensem da seguinte forma. Provavelmente a empresa está te enviando esse kit porque sabe que você vai falar muito bem do produto. A maioria dos kits deve custar por volta de uns R$ 30,00. A quantidade de leitoras que vão comprar os produtos com certeza gastará muito mais de isso nas lojas. Quer dizer… A empresa tem uma publicidade muito barata de R$ 30,00 e um alcance de vendas de R$ 3.000,00. Será que isso é 50% do relacionamento? Ai vocês me falam… “Ah Ricardo, mas para quem esta começando é muito bom receber estes mimos”. Concordo… Mas isso não quer dizer que você seja parceira da empresa. Parceria mesmo seria se a empresa te enviasse todos os produtos sempre. Assim, você estaria suando a camisa para escrever os posts e recebendo sempre pelo trabalho. 50% x 50%. Concordam?

Por último. Parcerias tem prazo de validade. Vejam o exemplo que fizemos com a Speciallità. O que foi proposto? Iríamos divulgar através de uma promoção a coleção outono / inverno. Nosso trabalho era divulgar a marca e criar um mailing list. Em troca eles ofereceram todos os esmaltes da coleção, suporte para promoção e a divulgação do slogam em tudo que eles fizessem. E foi isso que aconteceu. A promoção foi ótima, criamos o mailing, a Suzana recebeu todos os produtos e até hoje o slogan escolhido (que foi da Ira) na promoção esta no ar.  50% x 50%

E para finalizar porque já escrevi muito. Meninas, não acreditem em contos de fadas. Pois finais felizes só acontecem nos filmes. Saibam que o final pouco importa, pois todos teremos o mesmo fim que é a bendita morte. O que realmente é legal na vida… É curtir o caminho e não o fim. E lembrem-se… Não existe uma cara metade ou uma tampa para nossa panela. Existem sim, pessoas que nos damos bem. E se ambos forem inteligentes, traçarão objetivos em comum para viverem vidas divertidas e emocionantes em parceria. Não sejam escravas das próprias ilusões. Vivam e espalhem seus objetivos. Quem sabe não exista um louco que queira compartilhar com alguns deles?!… rs

Bjs.

Evitando pedidos

Postado em Comunicação por

coisinhasdasussu peditório

Ola garotas. Sei que faz tempo, mas enfim… Estamos ai de novo. Esta semana pego carona no último post onde a Mônica do 9ml me sugeriu um assunto bem oportuno. Então farei o seguinte. Dividirei em dois posts para ficar mais interessante. Neste falo sobre o “peditório” e no próximo sobre “parcerias”. Desculpem-me as católicas fervorosas, mas a leitura é meio “agnóstica”…. rs

Quando tinha lá meus 7 ou 8 anos de idade freqüentava a igreja (ainda bem q não faço mais isso) e aprendi uma coisa incrível com o padre. Ele me disse: “Quando precisar de ajuda peça a Jesus que ele te ajudará.” CARACAS! Foi na hora!… “Eu vou é pedir agora seu padre! – Jesus, me ajuda ai meu chapa. Amanhã tenho prova de matemática e não estudei nada. Dá pra dá uma força ai mano?!”. Pronto! Tava feita à perigosa interpretação do mundo de uma criança de 8 anos de idade.

Daquele dia em diante, passei a pedir tudo para Jesus, ele virou meu Big Friend Camarada! O problema é que Jesus era BEM ausente. MUITO ausente… Nem a prova de matemática ele conseguiu me ajudar. E o padre dizia que Jesus era um cara bem ocupado, mas que ele tava me ajudando sim… “Como assim seu padre? Ajudando onde se a prova foi semana passada e eu que me ferrei?”

A sensação de abandono, obviamente, foi aumentando. Comecei a criticar Jesus porque ele não me ajudava em porra nenhuma! (mother fucker). Foi quase uma campanha Comunista Anti-Jesus…rs. Mas ai o tempo foi passando e passando e passando… Tive outros problemas que ele, também, não me ajudou e até que Jesus ficou lá e eu fiquei aqui. Eu com meus problemas e ele com os dele.

Por que essa história toda? Simples. Porque existem muitas meninas que ainda pensam como “Ricardinhos de 8 anos de idade”. Entram em blogs conhecidos e comentam umas duas, três, cinco vezes, sempre com o mesmo discurso: “Fulana, adorei o seu post. Amei de paixão… Dá uma passadinha lá no meu blog depois.”. Não garotas! Não façam isso!… Isso é muito feio! Literalmente é pedir esmola virtual.

É obvio que é necessário se jogar nos blogs e comentar os posts para ser vista e aceita. Mas você nunca será reconhecida se esmolar atenção ou ficar no peditório. Lembre-se de que, quem está do outro lado do blog é um ser humano tanto quanto você. Que também odeia quando as pessoas ficam pedindo e pedindo e pedindo… Tentem fazer diferente.

Ai vai a dica… Da próxima vez que forem comentar algum post faça com que o seu comentário seja tão interessante para o contexto que gere novos comentários. Assim você abre a possibilidade para que todas as leitoras comentem a idéia central e também a sua participação. Deste jeito você ganha visibilidade e o blog visitado muito mais. Este regime de cooperação nas redes é muito mais eficiente do que ficar esmolando visitas. Se o que você comenta faz a diferença para o post é óbvio que as blogueiras vão te visitar. Não porque é bonitinha, mas porque você gera uma coisa importantíssima para todos os blogs: “conteúdo”. E é do conteúdo que gera a “consistência”. E é disso que os blogs se alimentam. Pegando o exemplo do post anterior. Blogs grandes como o 9ml, Mão Feita e Loucas por Esmaltes não tem somente uma grande audiência porque falam de esmaltes. Elas têm audiência porque tem “consistência” nos posts e nos comentários. A audiência não é o importante, tanto que ela sempre esta oscilando. Mas a consistência sim. Isso é essencial.

Para terminar, não acredite que Jesus vai fazer por você o que você mesmo não faz. Vamos parar de pedir e começar a agir, ok?

Bjs a todas.

Um relato, uma desculpa e uma histórinha

Postado em Rapidinhas da Sussu por

Oi meninas, meu relato é que hoje faz exatamente 30 dias que comecei a trabalhar em meu novo emprego, por isso me ausentei um pouco do blog. Para as que já me conhecem há mais tempo e já estavam acostumadas a conversar comigo no twitter e ver posts fresquinhos quase todos os dias devem ter percebido que minha freqüência caiu neste último mês. Mas agora já estou me acostumando com o batente, por isso desculpas pela minha ausência e prometo que voltarei trazendo várias novidades.

Pedi para o Ricardo escrever este post, pois ele conta a história melhor do que eu. Então aproveitem e me contem o que acharam no final ok.? Bjs a todas.

História contada pelo Ricardo – “Como todas devem saber a Suzana é formada em desenho industrial pela FMU. E no tempo que estudava havia feito alguns estágios na área, mas nunca tinha trabalhado efetivamente. Quando terminou o curso uma amiga da faculdade a chamou para trabalhar em seu lugar como freelancer, pois estava grávida e se ausentaria por uns seis meses, no mínimo. Suzana aceita a proposta e começa a trabalhar como diagramadora em um jornal de bairro. E foi assim que a conheci, pois até hoje presto serviços para o mesmo jornal.

Logo no primeiro dia ela já CAUSOU!! Veio me cumprimentar com aquelas unhas verde flúor, um vestido florido e uma tiara com um laço gigantesco na cabeça. Estava tão animada que não parava de pular e sorrir. E eu só conseguia pensar: Ai Caracas, meu Jesus, essa menina é estranha!!… Sabe né gente, o pessoal da periferia não esta acostumado com certas extravagâncias, rs. Mas tudo bem… Vamos deixar rolar e ver se é uma boa profissional.

Ela acabou surpreendendo todo mundo, trabalhava tão bem que nem sentimos que estava substituindo a amiga. Nesta época já conversávamos mais. Ela me contou dos seus gostos por jóias, esmaltes, cupcakes e laços. E como era louca para escrever tudo que sentia. Foi dai que nasceu à idéia de criar este blog. Fiz uma planilha de intenções, objetivamos, planejamos e implementamos. Tudo bem pensado e com foco nos objetivos. Suzana aceitou a proposta e começamos a trabalhar.

Muitos contatos, muitos posts, muitas parcerias, muitas promoções e várias amigas… Até que o blog começou a atingir uma repercussão interessante no mundo da Internet. Mas ai chegou o momento da despedida. Suzana estava para sair do jornal. Não havia efetivação e seu prazo estava no fim. Ela trabalhou um ano e seis meses como freelancer e agora estava DESEMPREGADA!

Um mês enviando currículos inutilmente, até que ela teve uma idéia incrível. E esta idéia mudou tudo. Resultou em um novo emprego e muitas oportunidades. Tanto que no dia da entrevista algumas meninas perguntaram: “Ah. É você a Sussu do Blog Coisinhas da Sussu?” rs.

Hoje Suzana trabalha na Dialeto, empresa de marketing especializada em mídias sociais. Ela faz praticamente as mesmas coisas que fazia aqui. A diferença é que na Dialeto ela trabalha para o clientes e é remunerada para isso. Atualmente esta trabalhando com uma equipe para modernizar o site  Sou Penelope Charmosa.com.br.

Abaixo vocês podem ver como foi que a Suzana conseguiu o emprego. É só clicar e ver ampliado. ”

clique para ver ampliado

E ai meninas, gostaram da historinha do Ricardo? Queria saber o que vocês acharam? Comentem, ok.
Eu adorei minha versão em quadrinho!!rs

Beijos Sussu.